17.2.05

Equipa B?

Porque este blogue não serve só para ir comentando as incidências dos jogos do fim de semana, lanço aqui hoje o desafio de irmos, periodicamente, discutindo questões de fundo relativas ao nosso clube.
E a questão de hoje é: deveria o Vitória apostar na criação de uma equipa B?

Para não condicionar a discussão, deixo só uns pequenos apontamentos acerca da minha opinião sobre esta questão:
1. O modelo das equipas B em Portugal é, salvos raras excepções, um claro falhanço.
2. A verdadeira lógica que devia presidir à criação de equipas B nunca foi verdadeiramente implementada em Portugal.
3. Só faz sentido a criação de equipas B se houver uma relação custo/benefício que o justifique o que implicaria sempre que o plantel principal fosse fortemente encurtado.
4. Em suma, se fôr para ter uma aquipa B onde os nossos mais novos se limitam a rodar na segunda B sem terem grandes hipóteses de aceder ao plantel principal, o qual conta com mais de 25 jogadores, ou então para pôr os dispensados a jogar, não obrigado.
5. Se for para implementar uma política mais radical de aposta na formação e consequente redução do plantel principal, aí sim estaria totalmente de acordo.

PS - Uma coisa é certa: os jogos da nossa equipa B iriam ter de certeza ter mais assistência que alguns da Superliga.

publicada por Gregório Freixo @ 10:01  

8 Comentários:

  • Às 17 fevereiro, 2005 11:04 , Blogger Pedro Barbosa disse...

    Meu caro GF concordo contigo na integra. De facto, o modelo adoptado em Portugal pelas equipas B é errado e não beneficia, salvo raras excepções, o clube que as cria, os quais a maioria das vezes utilizam essas equipas para colocar os dispensados ou os menos utilizados.
    No entanto, creio que o modelo de equipas B utilizado nos moldes do sistema espanhol é muito benéfico, em que as equipas profissionais "A" estão limitadas a n.º de jogadores inscritos (salvo erro 25) e as equipas B só podem contemplar 3 jogadores com mais de 21 anos, permitindo-se ainda a ascenção dessas equipas à 2ª liga. Parece à primeira vista questões sem grande importancia, mas na realidade não é, em primeiro lugar porque evita que equipas como o Porto comprem jogadores só para os emprestar, logo, limitando o n.º de inscritos, o mercado de jogadores de qualidade aumenta. Em segundo lugar permite aos jogadores que finalizem a formação e que de imediato não tenham lugar na equipa principal, possam jogar debaixo da alçada do seu clube e possivelmente, quando tenham qualidade, ascender a uma competição da 2ª liga, onde o nível é bem superior à 2ª Divisão B.
    Por isso, nos moldes actuais, é minha opinião que não faz sentido formar uma equipa B no Vitória, pelos custos que isso acarreta e pela qualidade competitiva das 3ª e 2ª Divisão B.
    Penso que a melhor solução no actual panorama competitivo nacional é o de o Vitória estabelecer com algum clube da 2ª Liga um protocolo de cedência dos jogadores mais jovens de qualidade de forma a que os mesmo rodem, à semelhança do que fez à uns anos atrás com o Felgueiras.

     
  • Às 17 fevereiro, 2005 13:03 , Blogger edinho disse...

    A propósito das equipas B,
    Ó Gregório, eu logo vi que me andavas a adoçar o bico com aquilo de pôr o meu nome no reclame. Carago, se era para me deixar a suplente não precisavas de fazer promessas que eu não te pedi nada, deixa-me isso para o sócrates e para o santana, que eu continuo a vir aqui pela linha lateral e venho muito bem. Mas realmente quando olho para os que constam da caderneta vejo tudo a escrever como deve ser, com instrução, gente que sabe,ísto é o carago, na volta não queres baixar o nível, mas comigo estás à vontade mesmo sem promessas para o tecto que nem precisas e tu és um gajo porreiro, todos me dizem o mesmo. Por isso não me fodas que não precisas, ok? Comigo estás à vontade e és sempre o meu capitão, se me permites tratar-te assim.
    Se queres pôr-me na equipa B do Blog não faças cerimónia até porque eu posso lutar com trabalho e mais trabalho como dizem alguns chulos da bola para ascender ao plantel principal.
    Abraço para todos os Vitorianos e vamos quilhá-los à Luz ou eu não me chame Edinho.

     
  • Às 17 fevereiro, 2005 13:25 , Blogger CASCAVEL disse...

    Meu caro GF,
    Sou, desde sempre, um defensor das equipas "B".
    Desde o tempo que existiam em Espanha e cá ainda só se começava a falar disso.
    Sobre se o modelo existente em Portugal, para essas equipas, é mau ou bom, não me pronuncio, por desconhecimento.
    Entendo, no entanto que, independentemente disso, o interesse das equipas "B" radica no facto de ser possivel a utilização de jogadores de forma regular, principalmente numa altura importante da sua afirmação enquanto jogadores, concretamente, durante aquele período sempre dificil da passagem do escalão junior para os seniores.
    Como disse, não me vou pronunciar sobre o modelo que por cá existe, digo apenas que me parece que o limite da II Divisão B, para estas equipas, parece razoável (as Ligas são, exclusivamente, para o futebol profissional, e por isso, não é para as equipas "B").
    Agora permitam-me que cite alguns exemplos de jogadores com muita qualidade que sairam directamente das equipas "B", designadamente, no Porto, Sporting e Braga.
    Se repararem do Braga, nos últimos anos, sairam, entre outros, o Tiago, e mais recentemente, o Cícero e o J. Alves.
    No Fcp são pontualmente requisitados para a equipa principal, com convocatória para jogos e até utilização efectiva, o B. Vale, o P. Machado e o Ivanildo.
    E mesmo no Sporting, tem sido utilizado com alguma regularidade o J. Moutinho.
    Todos estes exemplos servem acentuar aquele meu sentimento da vantagem em ter equipas "B".
    Claro que a questão económica é muito importante e, confesso, não sei quanto custa anualmente uma equipa destas.
    No entanto, também entendo que, existindo estas equipas, poderiam as de "Elite" ser obrigadas a ter menos jogadores, sei lá 22/23, e quando necessário, os respectivos planteis seriam "reforçados" com estes jogadores mais novos. Penso que, assim, também seriam poupadoa alguns milhares de euros na composição dos planteis principais dos clubes que, em vez de terem cerca de 30 jogadores, teriam os tais 22/23 e, com isso, seria poupado algum dinheiro.
    Em conclusão: na minha opinião as equipas "B", pelo menos no aspecto desportivo, são desejáveis e, como disse, penso que as mesmas têm trazido mais vantagens que prejuízos aos clubes que nelas apostaram. Por isso, entendo que o VITÓRIA só beneficiava com a criação de uma equipa B.
    E, como diz o Capitão, teríamos muito mais gente a ver esses jogos que muitas equipas na Superliga. Mas isso , para nós, não é novidade, aliás, também acontece nos juniores e no voleibol.
    Mas isso vocês todos sabem.
    Saudações Vitorianas.

     
  • Às 17 fevereiro, 2005 23:08 , Blogger Ademir disse...

    Bem eu acho que a equipa na situação actual do VITÓRIA, só iria prejudicar o clube, e isto porquê? Era mais uma despesa para os encargos do clube.É preferível que o VITÓRIA, encontre um clube das divisões inferiores onde possa colocar os jogadores. Isto é o VSC faria um protocolo com um clube onde iria colocar os jogadores e um treinador pago e da responsabilidade do nosso clube, por forma a permitir a utilização dos mesmos. Acho que seria muito mais benéfico para o clube.
    Esta equipa teria que estar num escalão nunca inferiorà 2ªB.
    Mas também acho que o VSC deveria ter muito boas relações com um clube da 2ª Liga por forma a colocar os melhores jogadores da formação a jogar. Esse clube poderia ser o Moreirense, ou outro das proximidades, quer eu dizer a começar no próximo ano.
    VITÓRIA SEMPRE

     
  • Às 18 fevereiro, 2005 12:14 , Blogger Gregório Freixo disse...

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
  • Às 18 fevereiro, 2005 13:31 , Blogger Pedro Barbosa disse...

    Mas será que ninguem impede o Cascavel de se pronunciar sobre o tema futebol. O homem só diz asneiras, fala do que não sabe e depois espeta-se!
    Oh meu parolo, desde quando o Cesinha e o João Alves sairam da equipa B do Braga. O Cesinha tem 24 anos e esta a caminho dos 25, é brasileiro e veio diretamento do Recife para a equipa A. O joão Alves tambem tem 24 anos é veio do D.Chaves tambem para a equipa A. Tu és um perfeito desconhecedor da matéria por isso cala-te pá. Sabias que o João Alves foi somente dos melhores jogadores da 2ª liga?
    Ora, o que se pretende com as equipas B é exactamente o contrário, ou seja, dar rotina de jogo, em futebol minimamente de qualidade e competitivo, a jovens que saiam dos juniores e não rodar jogadores de 24 ou mais anos. Como os exemplos do Afonso Martins no Sporting, o Peixe no Porto ou mais recentemente o Sokota no Benfica.
    Entendes?
    Depois em relação ao quadro competitivo onde devem disputar as competições esses jovens jogadores. É evidente que o ideal é conseguir colocar na 2ª Liga. Então ou consegues uma equipa onde atraves de protocolo colocas os jogadores, como ja aconteceu com o Felgueiras, ou tens que deixar as equipas B subir a essa 2ª liga. Essa questão de na 2ª liga não ser possivel as equipas B participar é uma questão que uma pessoa como tu pode colocar. Mas eu como sou como um pai para ti vou-te esclarecer: O vitória ao disputar a 1ª Liga so pode utilizar jogadores profissionais, com contrato de profissional, prevendo a regulamentação ate um ordenado minimo, ora, se o objectivo é teres uma equipa B onde, alem de continuares a formação de jogadores, possas a meio da epoca recorrer a eles. Assim como jogas na 1ª liga com a equipa principal, obrigatoriamente essa equipa B tem que ser constituida por jogadores profissionais. Percebeste? Logo poderias perfeitamente jogar com essa equipa B na 2ª liga. Como alias acontece em Espanha.
    Assim faz todo o sentido a alteração dos quadros competitivos, facultando a inserção dessas equipas B na 2ª liga.
    No entanto, mantenho a opinião de que no caso do Vitória, tal como afirma o Admir, deve-se optar pela via de estabelecer um protocolo com um clube satelite, de modo a colocar la os jogadores jovens com futuro.

     
  • Às 18 fevereiro, 2005 15:58 , Blogger CASCAVEL disse...

    Meu caro Pastelão,
    Eu vejo mal e, por isso, uso óculos.
    Tu, apesar de ter bons olhinhos ( ia dizer boa vista, mas já sei que ficavas ofendido e, por isso, modifiquei a terminologia!) penso que também necessitavas deles.
    Onde é que eu, no meu comentário, falo no Césinha?
    Sobre o J. Alves tenho quase a certeza que o mesmo, apesar de vir de Chaves, começou a época na equipa B da "marroquinaria" e, após as boas exibições, passou para a equipa principal. Se estiver errado, desde já, me penitencio.
    No entanto isso não é importante, dado que, de certeza, existem mais exemplos, para além dos que aqui deixei, que confirmam o que defendo.
    Mas, já agora, e porque não o disse anteriormente, também encontro outra vantagem nas equipas B: tornam-se importantes na readaptação à competição dos jogadores, após o período de inactividade, resultante de uma lesão, mais ou menos, prolongada.
    No entanto, descansa meu caro P. BARBOSA, que, a partir de agora, sempre que quiser postar/comentar algo no blog, telefono-te previamente a pedir para me corrigires. Assim ao jeito da censura, como havia no tempo das outras Senhoras.
    Eu bem digo, continuas um saudosista!
    Saudações Vitorianas.

     
  • Às 18 fevereiro, 2005 17:40 , Blogger Gregório Freixo disse...

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page