26.9.11

OUTRO DESAIRE.

O VITÓRIA deu meia parte de avanço.
Nos primeiros 45 minutos a exibição foi confrangedora, ao nível de tantas outras que já se viram nesta temporada.
Desconcentrado, sem garra, com falhas individuais mais apropriadas a equipas juvenis, o VITÓRIA foi presa fácil para um adversátrio que, talvez motivado pelo início de temporada muito bom, tudo fez para ganhar o jogo.
E só não o resolveu na primeira parte por manifesta infelicidade, face aquilo que o VITÓRIA (não) jogou.
A segunda parte, sem ser brilhante, foi diferente para bastante melhor (também não era fácil ser como a primeira....).
Os jogadores apresentaram-se com outra actitude, equilibraram por completo o jogo e não fossem as falhas individuais (o segundo golo do Marítimo é inacreditável), as boas interveções do redes insular por um par de vezes, a azelhice dos nossos avançados (as perdidas do N. Assis e do Faouzi são incríveis) e a falta de sorte (aquelas bolas aos postes.....), podíamos ter saído da Madeira com o empate.
O problema principal desta equipa, neste momento, parece-me que está no meio campo.
Com P. Mendes de fora por lesão (as lesões no VITÓRIA parece que não têm fim e as "curas", por mais pequenas que sejam as lesões, parecem intermináveis), o "miolo" não consegue controlar o jogo. El Adoua "só" sabe destruir e L. Olímpio está a léguas daquilo que fez em Paços Ferreira.
Ao que acresce a "situação" do Toscano.
O Brasileiro não pode jogar na posição que tem jogado.
Não tem velocidade para jogar nas alas e, por isso, acaba por ser uma unidade a menos no jogo Vitoriano.
Não ajuda a defender porque não consegue acompanhar os extremos contrários, deixando o lateral muito sózinho, como também não consegue dar profundidade ao jogo atacante da equipa, porque não tem velocidade para desiquilibrar os laterais contrários.
Toscano é, na minha opinião, um médio ofensivo (tal como Assis ou Barrientos) ou um segundo avançado, que possa acompanhar o ponta de lança.
Não o colocar numa destas posições implica 2 coisas: perder um bom jogador naquilo em que é bom (e é-o em muitos aspectos do jogo) e provocar desiquilibrios à equipa.
Basta ver a mascara de esforço que o Brasileiro apresenta quando é substituído, fruto dos sucessivos "piques" a que está condenado jogando na posição em que tem jogado.
Com (mais) este desaire, a equipa caíu para os últimos lugares da classificação, já a alguns pontos dos adversários directos, e por isso os próximos 2/3 jogos vão ser fundamentais para se definir a temporada.
Ou se conseguem, e rapidamente, resultados posítivos, caso contrário a pressão dos maus resultados vai fazer-se sentir, com consequências gravosas para o que resta da época.
Continuo a achar que o plantel é muito bom, com muitas soluções, como tal acredito que, mais tarde ou mais cedo, os resultados vão aparecer.
Têm a palavra os responsáveis técnicos e os jogadores.
OS MELHORES:
1. B. TELES.
2. ALEX (pelo que fez na 2ª parte, já que a primeira foi muito fraca).
3. BARRIENTOS.

publicada por CASCAVEL @ 14:03  

0 Comentários:

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page