26.8.09

Curta Reflexão

Penso que sobre o jogo com os lampiões já estará tudo dito.
Aliás não se passou nada que não estivessemos fartos de saber.
E de ver !
Parece-me isso sim que valerá a pena reflectir um pouco,tão desapaixonadamente quanto possível, sobre um clima de tensão instalado no Vitória há já demasiado tempo.
E que passa de presidente para presidente, de direcção para direcção, ameaçando minar de forma grave a união dos vitorianos em volta do clube.
Todos sabemos como e porque isso começou,todos nos lembramos como transitou de Pimenta Machado para Vítor Magalhães,todos assistimos ao que se vem passando com Emílio Macedo.
Perguntar-se- á se os referidos presidente não contribuíram para esse clima.
Claro que sim.
Todos eles tem culpas no cartório.
Porque tomaram atitudes e decisões que "feriram" o sentir profundo dos adeptos, porque se equivocaram em opções, porque não entenderam os sócios e simpatizantes em determinados fases dos respectivos percursos.
Sendo amigo de dois deles, não conhecendo nem fazendo questão o outro,de uma coisa estou certo.
Pensando o que cada um pense sobre as respectivas gestões entendo que fizeram sempre aquilo que lhes pareceu melhor para o Vitória.
Simplesmente as coisas não correram como certamente desejavam e, de certa forma,"pagaram" por isso.
E é precisamente sobre o "preço" que deixo a reflexão final.
Qualquer vitoriano que assuma responsabilidades no clube sabe que tem pela frente uma massa associativa exigente,apaixonada,ambiciosa.
E tem de saber corrresponder.
Mas em nome da paixão,do vitorianismo,do amor ao clube nem tudo é admissível.
Pimenta, Magalhães e Macedo enfrentaram (este ultimo ainda enfrenta) formas de contestação que são absolutamente inaceitáveis num clube de gente civilizada.
Não é por não gostarmos de quem ocupa um cargo temporariamente que temos o direito de o insultar,achincalhar,denegrir.
Porque as pessoas merecem respeito.
E os cargos institucionais do clube não podem ser abandalhados só para se tentar arredar aquele que não nos agrada.
Porque as pessoas passam e o Vitória fica.
A direcção errou ao permitir que adeptos de outro clube se sentassem na bancada topo sul.
Ela própria teve a ombridade de o admitir em comunicado.
Os sócios tem todo o direito de contestarem essa decisão.
Nos sítios próprios e com a educação que deve pautar o tratamento entre pessoas civilizadas.
O que ouvi no estádio e leio em blogues é deplorável pela imagem que deixa de uma parte do universo vitoriano.
E por outra razão:
Vamos no caminho acelerado de ninguém com educação, valores, princípios,dignidade,amor próprio estar disponível para ocupar lugares na direcção do nosso clube.
Por não estarem dispostos a sujeitarem-se a este ambiente de coacção.
E temo pelo Vitória quando os únicos disponíveis forem os que, não tendo vergonha, aceitem ser dirigentes de qualquer maneira,em qualquer ambiente,sob qualquer suspeição,ouvindo todos os insultos.
Talvez seja tempo de todos reflectirmos.
Enquanto há tempo!

publicada por Jeremias @ 13:04  

4 Comentários:

  • Às 26 agosto, 2009 16:20 , Blogger Rui Vítor Costa disse...

    Já de há uns tempos a esta parte que temo por este sentimento de "amar-te-ei até te matar" que se vem generalizando no nosso clube e concordo por isso com a análise do Jeremias.
    Não acompanhei o caso com atenção mas penso que, no essencial, o Vitória não poderia desaproveitar a receita extra que fez. "Como o fez" será uma outra questão...
    Apesar da empatia que sinto com quem trabalha em prol do Vitória, começo a ficar seriamente preocupado com a emotividade que vai transparecendo. Não se pode nem se deve afirmar que se pondera a demissão. Os avanços e recuos, as indecisões alimentam o "jacobinismo vitoriano" a que vamos assistindo. E isso é mau para todos. Temos uma casa que tem que ser gerida com inteligência fria e com a noção que o equilíbrio financeiro do clube é o pilar mais importante para o nosso futuro comum e para os sonhos que acalentamos.

     
  • Às 26 agosto, 2009 20:20 , Blogger Pedro disse...

    Deplorável são igualmente os insultos proferidos pelo Presidente do Vitória, e reporto-me ao jogo com o Benfica. Já para não falar na falta de respeito por aqueles que fazem deste um clube único, ao não responder.

    A direcção não respondeu absolutamente nada em relação ao passado no domingo. Pelo contrário. Mentiu, gozou, tentou ludibriar os vitorianos.

    Mas estas atitudes não são de hoje. Emílio Macedo é um pequeno ditador. Quem o conhece sabe a sua maneira de ser. E ele pensa, infelizmente, que o Vitória é seu e que toma as decisões que bem entender sem ter de dar cavaco a ninguém.

    O Vitória são e serão sempre os seus sócios, e muito antes de Emílio por cá andar (basta falar apenas no seu número de sócio) já todos lutávamos por um Vitória maior e melhor!
    E assim será quando ele e os seus pares saírem.

     
  • Às 27 agosto, 2009 14:29 , Blogger Ernesto Paraíso disse...

    Está tudo dito neste post, com o qual concordo, na íntegra.

    Mas o problema extravasa em muito o âmbito do clube.
    É matéria para sociólogos interpretarem.

     
  • Às 27 agosto, 2009 14:52 , Blogger Quinito disse...

    Acredito que a atitude que a direcção tomou no passado Domingo, ainda para mais com um comunicado mentiroso, feriram-na de morte. No entanto, não deixo de concordar que o insulto não é o caminho, e esta perturbação em nada beneficía o Vitória. Mas sejámos honestos, alguem teria uma ideia mais idiota que esta, a de colocar Vitorianos e Benfiquistas no Topo Sul???? Será razão para destituir a direcção? Acredito que sim, pois parece-me revelador da forma desrespeitosa como esta olha para os sócios (não me venham com a desculpa q há quem insulte), refiro-me a TODOS os sócios, iniciado na última Assembleia-Geral.

    Um abraço para todos

    Pedro Soares

     

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page