14.7.08

“Como fazer do Vitória um Clube que passe nas teelvisões?”

Exmo. Senhor José Marinho,
Presumindo que possa continuar a ler este nosso blog – presença com que muito nos honra – aproveito a analogia ao título de um conhecido livro seu para falar, não das suas preferências clubísticas ou da sua proveniência geográfica, mas da sua profissão. Aquela com que nos serve.
Escolhi ainda este título por ter verificado que, esta semana, o Vitória defrontou o Wolfsburgo, conhecido clube alemão (5º classificado da Bundesliga e afinal, clube que teve “peito” para vir buscar o Alex ao seu glorioso), num torneio internacional onde jogam outros clubes médios da cena internacional e onde estiveram, a crer nos jornais, cerca de 1.000 adeptos vitorianos.
Nas teelvisões (como dizia o nosso conhecido Adolfo, em música sua, que pode acompanhar enquanto lê - http://www.youtube.com/watch?v=EDUFtty-aJM) o jogo do Vitória passou totalmente despercebido à cena teelvisiva nacional.
Claro está que não me refiro à transmissão teelvisiva, refiro-me tão-somente, a um mero e simples resuminho dum jogo de preparação, mas oficial, ou seja, integrado num torneio.
Mas não, puro engano. Para gáudio do português centralista, as nossas teelvisões têm-nos presenteado insistentemente com resumos do jogo amigável entre o FCP e um qualquer clube amador alemão, e com um relevantíssimo jogo entre o Dinamo e o Lokomotiv de Moscovo, integrado numa qualquer jornada do campeonato Soviético, perdão, Russo.

E o que é que isto tem que ver consigo?
Pois quanto a mim, tem tudo que ver. Pois que se havia mérito que poderia atribuir à sua contratação (a que já na altura dei realce) era precisamente o seu conhecimento do mêtier, como na altura designei. Era precisamente a circunstância de poder conhecer a malta boa que decide esta coisas, para a qual o Vitória ou qualquer outro clube para além dos 3 estarolas, só merece reportagem se for jogar contra um dos ditos 3.
Eu sei e compreendo que isto seja assim. Por ex., nos estúdios da SportTV ou da RTP, TVI e quejandos, não deve haver um único vitoriano, a malta ainda liga de Lx lá para os estúdios do Porto, a saber das ocorrências a norte:“Eh pá há aí alguma coisa de interesse esta semana? Ó meu, aqui no norte é só mesmo o Porto que joga contra o Gutersloh! Contra o quê? Gutersloh! (virando-se para um colega, tapando o telefone) Eh pá este gajo tá a falar comigo e a virar o barco...
Ora a sua contratação tem como principal argumento (para não dizer único) o tentar mudar este estado de coisas. E nisto, creio mesmo que o senhor, ou alguém como o senhor, representam uma aposta certa da Direcção. Mas agora, é preciso começar a ver qualquer coisa sob pena de ter que dar razão aos que não viram grande mais-valia na contratação de alguém estranho às reivindicações do Vitória e dos vitorianos.

E vamos a factos:
Esta semana o Porto (Futebol Clube) veio referido como uma marca (brand se preferir) com determinado valor, sendo uma instituição com cerca de 100.000 sócios e alegadamente 2,8 milhões de adeptos. Quanto aos adeptos não me pronuncio pela falibilidade de tal dado, como aliás, estou certo não haver um único portista que de mim discorde sob pena de validarem o famoso número dos 6 milhões.
Mas já considero relevante que o Vitória, um Clube que apenas tem uma Supertaça no seu palmarés, tenha 30% dos sócios do Porto, bi-campeão europeu e duas vezes vencedor da Taça Intercontinental.
Com isto quero dizer: será a diferença assim tão grande que justifique tamanha diferença de tratamento jornalístico? Aliás, até as diferenças de lotação nos estádios demonstram isto mesmo, o Vitória tem médias que são bem superiores a 50% das médias de espectadores dos 3 estarolas.
E será que isto justifica que tenhamos que levar com tudo o que eles fazem nos treinos, almoços e jantares e a caminho deles, e do Vitória raramente passe 1 mn de teelvisão, a não ser para vir analisar como reage a fauna local a inusitados e até provocatórios resultados e classificações, como os do ano transacto?
Isto de facto não se justifica. Aliás revolta. A mim revolta-me este país parolo.
E pode achar estas palavras duras, mas acredite que depositamos em si as esperanças de mudar este estado de coisas. Não tenho nenhum alegria em lhe “malhar” a torto e a direito, nem tem este post esse propósito. Entenda estas palavras como profilácticas, para que melhor e mais rapidamente consiga tornear a sua maior dificuldade na posição que ocupa: não saber quais são as nossas reivindicações.
Por ex. não poderia o Vitória, até a expensas próprias, fazer um acordo com a GmrTV de forma a que este canal on-line deslocasse meios técnicos e humanos com o Vitória para estágio, podendo depois negociar o produto da recolha de imagens com os canais nacionais de teelvisão?
Não será esta difusão, esta divulgação da carreira do Vitória também uma forma de nos engrandecer? Afinal, não será essa a forma pela qual os ditos grandes se engrandecem? (excepciono o Porto porque ser o único que tem resultados que o justifiquem).
É nisto que temos que apostar e de imediato!Consigo como responsável pela nossa comunicação, não aceitamos mais esta contínua discriminação do Vitória face aos demais.
É certo que a sua primeira aparição pública, na vertente comunicacional deixou muito a desejar (atenta a indescritível e já abordada qualidade visual daquele pano), mas esperamos - eu pelo menos espero - de si, uma actuação assertiva e decisiva nesta vertente da comunicação.
Perante a comunicação social.
Se conseguir isto já terá valido a pena (e muito!) a sua contratação. Esperamos agora que atalhe caminho para não permitir que voltem a acontecer coisas como esta da ignorância nacional à nossa participação na Obi Cup.

Peço desculpa aos restantes pela (habitual) extensão.
Espero possa valer a pena.

Etiquetas: , ,

publicada por Paquito @ 15:42  

10 Comentários:

  • Às 14 julho, 2008 18:55 , Blogger José Marinho disse...

    Caro Paquito.

    Terei de ser curto, porque alguns afazeres aqui na Suiça não me deixam muito tempo para responder com a profundidade que pretendia sobre um tema, de facto, revoltante e discriminatório. Tem razão no que diz, sobretudo quando refere a constante e pacóvia relação de grandeza que existe neste país entre as nossas televisões e os clubes designados "Grandes". Na redacção da Sporttv lutei muitas vezes contra essa relação que deixa de fora todo o restante país desportivo. Ainda na Sporttv, enquanto editor, tentei acabar com as desinteressantes notícias diárias dos treinos desses clubes, porque muito convictamente achava - e ainda continuo a achar - que era desncessário gastar tantos meios e energias em informação de qualidade duvidosa. Não consegui que as minhas ideias prevalecessem. É o país que temos creio que tão cedo não consigamos mudar as coisas e as mentalidades. Porém, a relação entre o Vitória e as televisões posso e devo mudar alguma coisa agora, muita coisa no futuro. Não será fácil, de todos os projectos que gostaria de implementar neste clube, este será, seguramente, o que mais preocupações me trará. Espero que compreenda que não posso nem consigo fazer tudo em tão pouco tempo. Sobretudo, porque desde que assumi a função de director de comunicação do Vitória, tenho estado permanentemente fora, a acompanhar a equipa de futebol. De resto, também defini como primeira prioridade mexer na dinâmica do site oficial do clube. Porque é a nossa melhor ferramenta de comunicação e aquela que permite uma melhor e mais imediata interacção com os sócios e adeptos do Vitória. Vamos continuar a mexer no site, vamos continuar a procurar as melhores soluções, as melhores ideias e as melhores parcerias. Mas também vamos procurar incrementar outras saídas para tornar o clube mais visível e mais reconhecido. Isso passa por um projecto televisivo para o Vitória. Numa primeira fase não será autónomo, temos de seguir uma política de pequenos passos. E nesse campo, o primeiro passo será procurar uma parceria. Tenho conversado com a direcção, começaremos a conversar com eventuais parceiros e teremos de tornar mais constante o Vitória nas televisões. É um dos grandes objectivos, sei como fazê-lo, está tudo na minha cabeça, já foi tudo explicado à direcção e todos juntos estamos a tratar da situação. Melhorar a comunicação, expô-la e torná-la rentável para o clube e um orgulho para os adeptos. Por isso, acredite que a sua preocupação é igualmente a minha. Não quero, no futuro, que a relevância do Vitória nas televisões dependa dos meus contactos, mas sim da sua grandeza. O Vítória, a sua direcção e eu, em particular, não nos curvámos a esta ideia miserável de que não há mais vida no país desportivo do que os três clubes que o senhor designou. Não me conformo e peço aos adeptos e sócios do Vitória que não se conformem.
    Sobre a questão do cartaz, apenas para lhe dizer que essa nem foi a minha primeira aparição como director de comunicação, nem tão pouco esse cartaz de que fala foi da responsabilidade da direcção do Vitória. Porém, tem razão, o Vitória e a sua grandeza já estão numa galáxia muito diferente do que a daquele cartaz.

    José Marinho

     
  • Às 14 julho, 2008 20:09 , Blogger f disse...

    Oh meu caro Paquito,
    Palavras acertadas dizeis vós...
    Já basta de tanta discriminação.
    E dizem "eles" que gostariam que o futebol português fosse mais equilibrado.
    E o que fazem "eles" por isso?
    Só falam dos 3 estarolas (acho uma piada enorme a esta designação) e apenas episodicamente de quem se cruza com eles. Festa mesmo, só quando os estarolas jogam entre si. E então se for entre os dois mouros, é prato cheio para uma semana. Um dia, perguntei ao senhor Rui Santos, enquanto paladino na defesa da equidade no tratamento dos jornalistas em relação aos clubes, porque motivo era ele também cúmplice desta discriminação.
    Pois ainda hoje estou à espera de resposta... Como diz a minha mãe "Palavras, leva-as o vento".
    Quanto ao senhor Marinho... célere corre o seu estado de graça.
    Na minha opinião, é mais do mesmo!
    Saudações Vitorianas.
    Miguel

     
  • Às 15 julho, 2008 11:50 , Blogger Jeremias disse...

    Dificil seria estar mais de acordo com o PAQUITO acerca do que ele escreve neste post.
    Aliás,sem quebra de pseudónimos,esta é uam preocupação que ambos temos há mais de doze anos porque sempre consideramos que a estratégia de crescimento do Vitória passava pela imagem e pelo marketing prioritáriamente.
    Ainda bem que hoje parece existir uma abertura nesse sentido que faltou noutros tempos.
    E espero que o director de comunicação possa contribuir sériamente para isso.
    Porque sem televisão,a sério,o Vitória nunca crescerá aquilo que precisa de crescer.

     
  • Às 15 julho, 2008 16:58 , Blogger Vitoriano de Belmonte disse...

    Espero que com o novo director de comunicação comece a ouvir na TV e a ler nos jornais Vitória Sport Clube e não "o Guimarães" (o das sapatarias?) ou o "vitória de Guimarães” ou "V.Guimarães".
    Que utilizem VSC ou vitória ou vitória SC ou Vitória Sport Clube! AH e para quando a loja online do vitória SC? Já que o sitio oficial tem sido utilizado para a informação que tal se lembrarem do marketing? Lembrem-se que há muitos vitorianos espalhados por Portugal e até fora do nosso país e que nem sempre se podem deslocar a Guimarães para comprar adereços do Vitória! Eu próprio já comprei através da loja online a 5 anos e agora vejo essa opção desactivada...

    Cumprimentos,

     
  • Às 16 julho, 2008 11:25 , Anonymous Anónimo disse...

    Lutar contra a porcaria da política dos «3 estarolas» é uma tarefa ciclópica!

    Cabe à equipa de futebol um papel fundamental: estar em permanência entrometida nos três 1ºs lugares.

    Cabe à direcção colocar à disposição do treinador jogadores capazes de tamanha proeza, mesmo com orçamento 5/6 vezes inferior ao dos lagartos e mais de 10 vezes inferior ao dos lampiões!

     
  • Às 16 julho, 2008 14:57 , Blogger Rui Rodrigues disse...

    Não posso deixar de aplaudir a "caqrta de intenções" do directos José Marinho.
    Se conseguir cumprir metade já será um grande feito.
    Até porque como este ano parece que a aposta é de baixo para cima (nao descer de divisao,nao descer de divisao)acaba por ser bom ver que alguém define metas ambiciosas e nao tem receio de as assumir.
    Em homenagem a isso e também a um comentador ultimamente desaparecido do blog aqui deixo um link bem disposto que o senhor Capitão fará o favor de autorizar a ser publicado.

    http://youtube.com/watch?v=maWsN_XsamQ

     
  • Às 16 julho, 2008 22:58 , Blogger Saganowski disse...

    Caro Rui Rodrigues:

    Comparar esta adorável figura do Vitinho com aquela alimária (que escreve baboseiras sobre o FCP aqui no nosso blog) é de mau gosto...

    Mas sabe, ele até parece que tem escrito, mas o nosso capitão tratou de o "radiar" dos comentários deste blog, eliminando-os sempre que ele escreve!

    Mas confesso que já sinto falta das insanidades dele...

     
  • Às 17 julho, 2008 11:28 , Blogger ADEMIR ALCANTARA disse...

    Caro José Marinho,

    DescontaNdo a simpatia da resposta, o "está tudo na minha cabeça" deve passar ao domínio dos sócios rapidamente, sob pena de ser considerado paleio.

    Abraços e,

    VIVA O VITÓRIA!!!

     
  • Às 17 julho, 2008 14:42 , Blogger Amil disse...

    Petição contra a hegemonia dos três estarolas na televisão.

    http://www.ipetitions.com/petition/rtp_desporto/index.html

    Cumprimentos

     
  • Às 17 julho, 2008 15:12 , Blogger Portiugues disse...

    E que tal um comentário sobre a decisão do TAS?

     

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page