10.7.10

A Grande Paródia

A assembleia geral do Vitória,realizada ontem,só deu mesmo para rir.
E se a risota não foi ainda maior tal deve-se ás preocupações que ela suscita quanto ao futuro do clube.
Comecemos pelas coisas sérias:
10.ooo cadeiras vendidas, nove mil sócios desaparecidos na actualização dos números e dois mil e tal espectadores na apresentação da equipa já são claro sinal de alerta.
Ontem,na AG,estavam cerca de duzentas pessoas.
Ao meu lado alguém comentava que parecia uma Assembleia do Sandinenses...
Qualquer coisa se passa para este aparente(assim se deseja) divórcio entre adeptos e clube.
Vamos então ás partes "divertidas" da AG.
Uma anedótica, outra surreal e outra patética.
Anedótico é o orçamento apresentado.
Mas como sobre ele já falou o EDMUR, e admito que ao assunto torne,apenas direi que me espanto como é possível ter a lata de apresentar semelhante conjunto de disparates.
E como há um conselho fiscal que o valida!
Surreal foi a intervenção do vice Júlio Mendes.
Para além dos contornos políticos em que não quero entrar sempre direi que vou a Assembleias gerais há dezenas de anos e nunca vi presidente ou director tão bem preparado para responder a uma pergunta que não sabia se ia ser feita!
Nisto de adivinhar o vice J.Mendes é bem melhor que o polvo Paul!
Trocando por miúdos:
Um sócio fez uma pergunta(obviamente combinada de antemão) sobre o espaço inferior da bancada nascente e os pavilhões prometidos e perante o espanto geral, e no melhor estilo Toni Carreira, o vice Júlio Mendes salta para o "palco" põe um microfone á frente da boca e fala durante quase meia hora (com recurso a um bem preparado power point!!!) a justificar porque razão as promessas não vão ser cumpridas.
Só visto !
Tinha sido bem melhor fazer a intervenção por iniciativa própria e não fazer de conta que foi devido a uma pergunta de um sócio,mas em boa verdade cada direcção escolhe a forma como se quer relacionar com a massa associativa...
Patética,mas patética mesmo,foi a defesa feito por Emílio Macedo do sorteio condicionado da Liga.
Como se sabe a LPFP,com a conivência triste de 13 clubes,faz dois sorteios.
Um para SLB/FCP/SCP e outro para os restantes.
Para simular isenção,mas só acredita quem quer, faz um simulacro para Vitória/Braga e Marítimo/Nacional de molde a estes clubes não jogarem em casa na mesma jornada.
Perante a critica de um sócio Emílio Macedo veio agarrar-se a esse pormenor dizendo que nos dava jeito jogar em casa em jornadas diferenciadas do Braga!
Que tristeza de argumento.
Alguém acreditará que quando o Vitória joga fora os vitorianos vão em romaria á pedreira ver jogar o Braga ?
Só se for Emílio Macedo.
Porque todos sabemos que os vitorianos ou acompanham a equipa ou vão a qualquer outro lugar, a qualquer outro jogo, menos á pedreira!
E assim vai o Vitória...
Aguardemos pelos próximos capítulos.

publicada por Jeremias @ 23:12  

2 Comentários:

  • Às 11 julho, 2010 15:48 , Blogger Vimaranes disse...

    Por motivos profissionais não pude estar presenta na AG de sexta-feira. Pensei que não tinha perdido nada, mas atendendo aos testemunhos quer do Edmur, quer do Jeremias, parece-me que perdi alguns bons momentos surreais, mas que infelizmente já não têm o condão de me espantar. E isso sim é que me preocupa.

     
  • Às 11 julho, 2010 17:39 , Blogger lafuente disse...

    Eu també não pude presenciar a Assembleia mas houve Comédia de qualidade com estes fait-divers do Júlio Mendes e companhia.Para onde caminhas Vitória?

     

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page