18.4.13

O jornal(eir)ismo Desportivo Nacional...

O proteccionismo aos clubes da capital, assegurado por aqueles que pretensiosamente se intitulam de jornalistas desportivos, é uma verdadeira vergonha.
Vem isto a propósito desta 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal.
Mas comecemos pelo enquadramento da questão.
Na 1ª mão, Vitória e Benfica haviam vencido os seus adversários pelo mesmo resultado: 2-0.
Os jogos tinham-se realizado no campo dos adversários, pelo que ambos os clubes se encontravam numa situação privilegiadíssima para passar à final.
Acrescia ainda a vantagem de os adversários serem, à partida, menos cotados.
Mas o do Benfica seria bem mais complicado pois enquanto o Paços de Ferreira segue em 3º lugar na Liga principal, bem à frente de equipas que a Imprensa reputa de serem tão fantásticas, o Belenenses é da II Liga, o Campeão, é bem verdade, mas ainda assim, apenas da II Liga.
Portanto, se havia algum jogo que seria mais complicado, esse seria o do Benfica, aliás como veio a confirmar-se com o resultado final. Os encarnados não conseguiram vencer o Paços de Ferreira (1-1), enquanto o Vitória, esse sim, foi capaz de vencer o seu adversário (1-0).
E é aqui que, uma vez mais, confirmamos a enorme falta de qualidade e de isenção destes pretensos jornalistas desportivos que tanto nos atormentam com as suas enormidades e os seus disparates, mas principalmente com a sua subserviência ao poder instituído (o dos 3 estarolas), e ainda aos clubes queridos da capital.
Enquanto que nos dias que antecederam o jogo da Luz se fizeram parangonas, afirmando-se que o jogo do Benfica seria apenas uma mera formalidade, pois o apuramento já estava mais do que garantido, com a vitória por 2-0 em Paços de Ferreira, em relação ao Vitória, tudo estava ainda em aberto.
Ao intervalo do jogo, quando já faltando apenas 45', e numa altura em que o Belenenses já perdia por 0-1 (0-3 no total das 2 mãos), ainda se ouviam os comentadores especular que tudo ainda seria possível desde que o grande Belenenses conseguisse marcar um golo logo a abrir a segunda parte.
Só mesmo aos 75', quando já só faltavam 15, é que começaram a admitir que, se calhar (não era "já não vai conseguir", era "se calhar"), o Belenenses não iria conseguir dar a volta ao jogo.
Eu vou repetir: uma equipa da II Liga (ainda que seja o seu Campeão) a faltar 15' para terminar o jogo, a perder por 0-3, em casa de um adversário da Liga principal (que se encontra a escassos 2 pontos do 5º lugar), SE CALHAR, não iria conseguir marcar os 3 golos que necessitava para passar a final.
Marcar 3 golos em 15', quando não tinha conseguido marcar um que fosse nos primeiros 165.
E é destas vergonhas e destes despudores que se vai fazendo a história do jornal(eir)ismo desportivo nacional.
Claro que com uma final em que o Benfica irá estar presente, a campanha a que iremos assistir, vai ser mais uma vez vergonhosa, nauseante e até nojenta.
Então se o Benfica for Campeão, nem quero pensar.
A nós, simples provincianos, estar-nos-á reservado um papel absolutamente secundário, como aquele que normalmente é dispensado às equipas estrangeiras nas competições europeias.
Já não contamos com outra coisa.
Certo, certo, é que lá estaremos em grande força, dando uma vez mais uma prova inequívoca da força do povo de Guimarães, que não necessita de ser de 6 milhões para conseguir superlotar a metade do estádio que nos estará reservada.
Quanto ao jogo em si... a ver vamos.
Dizem que são favas contadas?
Podem muito bem ser, mas a verdade é quando a sobranceria é muita, até estas contagens podem ser mal feitas. 
Mesmo as das favas…
..

Etiquetas:

publicada por Ibraim @ 18:09  

2 Comentários:

  • Às 18 abril, 2013 23:43 , Blogger Jeremias disse...

    subscrevo inteiramente. Aliás basta ler as capas dos três jornais desportivos de hoje para perceber a importância que dão a uma meia final da taça de Portugal em que não esteja nenhum dos três estarolas.
    São uns miseráveis sem respeito nenhum pelo Vitória e pelos outros clubes que como o nosso andam a sustentar o futebol portugês e por inerência os seus postos de trabalho.
    Creio que o clube devia seguir uma politica diferente em relação a esses pasquins e ás televisões que são tão parciais e sectárias como eles.
    Mas isso pressupunha uma blindagem interna da informação que é actualmente impossivel num clube onde há dois ou três papagaios sempre ansiosos por irem contar novidades ao seu jornal favorito.
    Então a"A Bola" é escandalosa a peferência

     
  • Às 20 abril, 2013 10:07 , Blogger Saganowski disse...

    Nos últimos 3 anos, o Vitória é o clube com mais presenças na Final da Taça (Vitória 2, Porto 1, Sporting 1, Académica 1 e Benfica 1), mas mesmo assim o que os jornaleiros (definição: trabalhador, normalmente rural, pago à jorna, isto é, ao dia, sem contrato ou vínculo definitivo a um patrão) gostam é de referir que o Benfica pode ganhar 2 troféus, que há 8 anos não vai à final...é blá blá blá...
    Relativamente a isto, gostava que esta Direcção não deixasse estas situações em claro e tomasse uma posição. Que saudades do tempo de um senhor que era Benfiquista, mas que sempre que o Vitória era prejudicado ele tomava posições públicas em defesa do seu clube!
    E que respeitados (pela comunicação social) que nos éramos! Que saudades!

     

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page