24.7.10

Acta número nove

Aos oito dias do mês de Julho do ano da Graça de dois e mil e dez, na sede oficial (sim, porque agora, FINALMENTE, a placa foi inaugurada!!!), nesta cidade de Guimarães, reuniu em Assembleia Geral Extraordinária, o blog D. Afonso Henriques, conforme convocatória postada antecipadamente, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

ORDEM DE TRABALHOS

1. Prova de Ovos Verdes
2. Inauguração da Placa
3. Discussão de Assuntos relacionados com o Vitória (fim de época, defeso, contratações, vendas, empréstimos, dispensas, pré-época, apresentação da equipa, jogos de preparação, assembleia geral, etc, etc, etc...)
4. Outros assuntos

Assim que este polaco entrou no nosso (agora) “poiso” oficial, pouco depois das 20h15, reparou que já lá se encontravam em exercícios de aquecimento (ou melhor, arrefecimento…com gelo e tudo!!!) o Ibraim (que segundo disse chegou pontualmente às 20h…), o Edmur e o Ademir. Posterior à minha entrada em campo, entraram também Pedro Mendes (sem capacete nem mota!), Cascavel e Jeremias, pouco depois seguidos pelo Capitão e por uma nova Velha Glória que foi rapidamente baptizada (com “p”, porque ainda não usamos o acordo ortográfico) de Quim Berto pelo nosso Decano. Relativamente a este “rookie”, foi-nos dito posteriormente pelo próprio que, quando lhe fosse dada a autorização para entrar formalmente no blog, esta nova Velha Glória iria assumir o nome de António Mendes. Seja.

Edmur, entretanto havia saído para tratar de um assunto familiar urgente. O resto da equipa tratou de ir “aquecendo” com alguns Ovos Verdes enquanto aguardávamos pelo leiteiro...perdão...brasileiro... para a tão aguardada cerimónia de descerramento da famosa placa. Chegado este, procedeu-se ao descerramento da placa, tarefa que ficou a cargo do Capitão (como não podia deixar de ser) e do mais novo membro, o Ibraim. No que a esta cerimónia diz respeito, há um registo vídeo (mas o mesmo apenas estará disponível para os membros deste blog, sob pedido a este vosso amigo) e também uma foto para relembrar a famosa placa, oferecida pelo Hélder Cabral. Valha-nos ao menos que ofereceu a placa, já que foi tão forreta que nem sequer nos ofereceu um champanhezito!

Ei-la…em todo o seu esplendor (antes e depois de descerrada)



Depois de inaugurada a placa, a equipa subiu ao relvado (que é como dizer ao piso superior), começando, com jogadas de fino recorte técnico a driblar os restantes Ovos Verdes com alguns refrescos à base de cevada maltada, enquanto aguardávamos pela chegada do defesa esquerdo nosso anfitrião com a lista dos adversários a deitar abaixo (vulgo “ementa”).

Logo ali se gerou uma enorme confusão, pois que o nosso Hélder teimou que seria ele a escolher o nosso jantar. A muito custo e com algumas críticas veementes aceitámos, à excepção do Edmur, que aplicou uma “nozada” ao defesa e optou por um prego no prato. Os restantes foram brindados com dois pratos: um misto de peixes e porco preto.

Enquanto o jantar decorria, foi abordada a situação do Sporting. Não que este clube de condes e viscondes nos mereça algum respeito, mas pela falta de respeito que esta agremiação demonstrou aquando das negociações que levaram à contratação do nosso treinador Paulo “Boné” Sérgio ainda antes do final do campeonato. Além de todos termos concordado que este é um treinador que não queremos voltar a ver treinar o Vitória, foi unânime que o Vitória podia e devia ter tratado este assunto com muito mais profissionalismo, evitando com isso deixar transparecer para o exterior que nos deixamos ultrapassar e que não temos lá muita habilidade/capacidade negocial. Da mesma forma se criticaram as páginas de alguns pasquins desportivos onde posteriormente apareceram notícias que davam como certas em Alvalade algumas das nossas “jóias da coroa” por “tuta e meia”. Novamente foi referido que a Direcção deveria ter tido uma forte tomada de posição pública relativamente a estes factos.

Posteriormente foram abordadas as eleições de Março no Vitória tendo Ademir manifestado a sua tristeza por este grupo não ter levado até ao fim a intenção de oficializar a lista que na última cimeira ele próprio construiu, lista essa que, não sendo ele um construtor de profissão, tinha sido construída com alicerces bem firmes para se tornar uma alternativa de peso. Após esta sua intervenção foi amplamente ovacionado por todos os presentes. Bem, por todos não, porque um grupo que estava na mesa ao lado não fazia a mínima ideia do que ali se estava a passar…

Nesta altura, Edmur tomou a palavra para se referir ao Orçamento que a Direcção tinha posto à consideração dos sócios, para ser aprovado na próxima Assembleia Geral, no dia seguinte. No seu entender, aquele era um orçamento pouco verdadeiro e que mais parecia uma marcação “à zona”: pouco específico, pouco eficiente e com grande margem de erro. Durante mais alguns minutos este foi o principal tópico de debate, tendo-se registado alguma descrença em relação ao mesmo Orçamento.

De seguida, para aliviar um pouco a pressão atacante deste “dream team” sobre a actualidade vitoriana, abordou-se a prestação da selecção no Mundial 2010, do qual havíamos sido eliminados há poucos dias, pela Espanha. Foram principalmente destacadas as estranhas lesões de Nani e Deco, bem como algumas declarações de alguns jogadores, que deram a entender a todos os membros deste blog que o ambiente não é lá grande coisa e que mais tarde ou mais cedo, Queiróz irá sair. Foram destacadas algumas boas surpresas em termos de jogadores como Fábio Coentrão e o “flop” que foi Ronaldo.

A Cimeira continuou com a abordagem de assuntos mais relacionados com o blog e o seu funcionamento, bem como com a recordação de algumas Velhas Glórias há muito ausentes ou que deixaram de fazer parte deste espaço, alguns posts épicos, polémicas, discussões e desentendimentos. Foi recordada com alguma saudade a figura do controverso “Vitinho”, visitante do nosso blog que, com muita pena nossa, se parece ter eclipsado da blogosfera, tal e qual o ex-jogador do Vitória, o Carlitos. “Vitinho”, se nos ouves (ou lês), volta…temos saudades tuas!!!

Nesta altura, Ibraim comentou, relativamente ao silencioso caloiro Quim Berto (ou António Mendes) que “temos dois ouvidos e uma boca para ouvirmos mais do que falamos”, mas que o caloiro estava a levar essa ideia demasiado ao extremo e que teria que dizer mais qualquer coisa “de sua justiça” (não fosse ele um profissional dessa área…)!

Aproveitando esta “deixa” de Ibraim, Quim Berto (ou António Mendes) participou activamente de um diálogo paralelo que aconteceu entre Jeremias, Saganowski e Ibraim e Cascavel sobre a falta de aproveitamento dos jogadores das camadas jovens do Vitória. Foi opinião geral que contratar jovens de fora e colocar os nossos jovens a “rodar” em clubes da 2ªB, 3ª Divisão e campeonatos distritais não era seguramente a melhor maneira de valorizar e potencializar os nossos activos mais novos.

Depois de o grupo de fumadores ter regressado do exterior, a conversa alargou-se ao resto da equipa do Vitória. Foi do entendimento geral que este ano a equipa está bem reforçada, se bem que há ainda algumas arestas por limar. Na opinião de Edmur, a equipa está de tal forma reforçada na frente que, na sua opinião, Douglas não irá jogar qualquer minuto na Liga. Por seu lado, o Capitão referiu que Maranhão tem nome de jogador, faltando só ver se ele é mesmo isso. Por seu lado, Pedro Mendes mencionou que o que era importante era haver um grande reforço de Ovos Verdes e garrafas de Água Castelo para as próximas Cimeiras.

Por volta das 23:26h (mais coisa menos coisa…) entrou em campo Capucho. A sua entrada foi saudada com uma ruidosa (se bem que curta) salva de palmas. Não se sabe se fruto do calor da emoção ou da sede, o extremo entrou imediatamente de pés juntos perante uma garrafa de malte. Rapidamente se entrosou e fez estonteantes trocas de bola com os temíveis Ademir e Pedro Mendes, com quem formou um tridente letal até ao fim da Cimeira.

Talvez entusiasmado pela formação deste tridente atacante, Ademir voltou à carga iniciando um novo ataque, dizendo ser necessária uma “vaga de fundo” que possa criar ou potenciar um novo caminho para o Vitória, começando desde já a lançar ideias e novas perspectivas. Foi por isso combinado começar a debater, em futuras ocasiões, a situação do Vitória com alguma calma e com bases sólidas. Esta intervenção foi amplamente apreciada por todos.

Pouco tempo depois, Jeremias e Ibraim abandonaram as quatro linhas, tendo este polaco e o novo recruta Quim Berto (ou António Mendes) seguido o mesmo caminho alguns minutos mais tarde. A restante equipa ficou a debater a preparação da tal “vaga de fundo” proposta por Ademir Alcântara. Apesar de não termos estado presentes para o resto da Cimeira, sabemos que esta foi muito profícua, ainda que deveras demorada, tendo continuado noutro local, lá para os lados do Toural. Segundo consta, foi interrompida e seria continuada no dia seguinte em local por nós desconhecido.

E assim, nada mais havendo a relatar, dou por encerrada esta acta que coloco à votação dos meus companheiros, para aprovação ou rejeição ou formulação de sugestões.


Guimarães, aos vinte e quatro de Julho de dois mil e dez.
Marek Miroslaw Saganowski

publicada por Saganowski @ 21:32  

9 Comentários:

Enviar um comentário

Efectuar comentários é absolutamente livre, neste blogue. Não serão, no entanto, admitidos insultos aos seus membros ou ao Vitória Sport Clube.

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

 

Locations of visitors to this page